Hallelujah Chorus



um escolha de Tito Santos
Dezembro 2010

Celtic Woman / Chloe Agnew - ''O Holy Night''



uma escolha de Jorge Carneiro
Dez 2010

Toalha - Oferta de Natal para 7Rios



oferta de Natal de Luisa Norberto
Dezembro 2010

Arranjos de Advento





Isabel Araújo Santos
Dezembro de 2010

uma pequena ideia, para reflectir


Bolo Arco-íris



Ingredientes:
2 Iogurtes Naturais
6 Medidas de Açúcar
2 Medidas de Óleo
6 Medidas de Farinha
1/5 Colher de Chá de Fermento em Pó
12 Ovos
4 Pacotes de Nata para bater
1 Lata de Leite Condensado
Corantes (Azul, Magenta e Amarelo)

Medida = Copo do Iogurte Natural

PreparaçãoJunta os iogurtes, o açúcar, o óleo, a farinha, o fermento e as 12 gemas numa taça. Bater bem até ficar uma mistura homogénea. Á parte bater as claras em castelo. Juntar ao preparado anterior.
Depois é preciso duas formas idênticas para cozinhar as camadas do bolo, de duas em duas. Convém que seja deste formato, ou parecido:
(Há no “Pingo-Doce” a 1,60 cada uma)
Depois eu fiz três conchas (daquelas que usamos para servir a sopa!) por cada camada de bolo. Põe numa tigela á parte (de duas em duas) e vai fazendo as cores. Basta comprares as três cores primárias (eu comprei no Modelo a 2€) para fazeres as restantes. Se quiseres que as cores fiquem mais carregadas compra duas embalagens (cada uma com as três cores). Depois é só uma questão de organização: Colocas duas formas no forno e enquanto esperas que cozam fazes as próximas duas cores. Entretanto repara se os bolos crescem muito (quase de certeza que sim…) se isso acontecer espeta um esparguete para eles baixarem. É remédio santo. Eles cozem muito depressa (10/15 minutos). Quando estiverem prontos desenformas e untas outra vez a forma (margarina e farinha), metes as próximas cores e assim sucessivamente. Quando estiverem todos cozidos, deixa que arrefeçam enquanto fazes a cobertura/recheio.

significado:O significado do bolo:Era todo branco por fora, representando a igreja de Cristo, pura, imaculada, esperando o seu noivo. Por dentro o colorido representa cada um de nós. Todos diferentes, multifacetados, mas trabalhando e servindo com o mesmo objectivo: o de agradar ao noivo, Cristo

Wind Machine - Jesu Joy Of Man's Desiring



uma escolha de Jorge Carneiro
Nov 2010

Massa à Marisa :)



Ingredientes :
Massa em espiral ou a que gostarem mais, frango de churrasco, ananás, maçã, milho, tomate e molho de maionese

Para o molho :
Maionese, ketchup, 2 ou 3 gotas de limão, 1 ou 2 dentes de alho muito bem picados, salsa picada, pimenta preta e provar sempre para ver se está saboroso.

Preparação:
Desfiar o frango ou mais frangos (conforme a quantidade a ser feita), mas o normal é mesmo só um frango : )
Juntar o frango desfiado ao ananás, maçã, milho e tomate.
Juntar o molho e misturar bem.
Depois da massa cozida mistura-se tudo e deixa-se arrefecer um pouco.
(Quem quiser, pode comer quente ou então levar ao frigorífico e comer quando estiver fria).
Nov 2010

Pudim de abóbora



Ingredientes

500 g miolo de abóbora limpo (sem casca nem nada)
50g coco ralado
4 ovos
400 g açúcar
1 colh (sopa) maisena
50 g margarina
Pau de canela

Preparação

1. Com 100 g açúcar, prepare o caramelo e unte com ele o interior da forma não pequena. Este pudim é muito rentável

2. Coza a abóbora em água com um pau de canela.
Depois retire o pau de canela, escorra muito bem a abóbora e passe-a pelo passe-vite, ou varinha mágica, para uma tigela.

3. Junte ao puré de abóbora a maisena, misturada com o açúcar e o coco ralado, e depois os ovos, e a margarina derretida.

4. Mexa muito bem, deite na forma caramelizada e leve a cozer em banho-maria, cerca de 45-50 minutos ou um pouco mais, se a forma for grande. De qualquer modo, verifique sempre se está cozido com um palito.

5. Depois de cozido, desenforme só depois de arrefecer.

Isabel Araújo Santos
Nov 2010

Carne de porco com Mel


1Kg de lombo de porco
1 ½ colher (chá) de sal
30g de margarina
1 colher (chá) alecrim
1 folha de louro (esmagada)
1 cabeça de alho
Noz-moscada
Piripiri
Vinho branco
Rodelas de chouriço
Mel

Num almofariz amasse a margarina com o sal, alecrim, alho, louro, piripiri e noz-moscada. Com este preparo barre toda a peça de carne.
Em seguida faça alguns golpes fundos no lombo, com a ajuda de uma faca bem afiada e introduza neles algumas rodelas finas de chouriço.
Coloque a carne num pirex de ir ao forno divididamente untado com margarina, regue com um pouco de vinho branco e leve a assar.
Durante os primeiros 15 minutos o forno deverá estar bastante quente. Findo este tepo reduza a temperatura. Passada 1.30hora, quando o lombo estiver quase pronto, retire-o do forno e barre com uma camada fina de mel.
Leve de novo ao forno médio por mais ¼ hora.


Receita do actor António Rama publicada na 3ª edição, pag 109, de “Em Banho Manel” de Manuel Luís Goucha
Em tempo:
introduzi algumas alterações:
fiz no tacho;
em vez de chouriço coloquei bacon
Não adicionei piripiri
Nov 2010

Pudim de Frutos Silvestres



O pudim que fiz para o aniversário da igreja, para um tabuleiro do tamanho do que se vê na imagem, utilizei :

3 pacotes de natas
½ pacote de frutos silvestres (encontra-se na zona dos congelados, nos supermercados)
2 tortas (tipo dancake) de morango

Cortar as tortas às fatias e colocar no fundo do tabuleiro que escolherem para o efeito.
Usando 2 pacotes de natas, bater até ficar em chantilly. Adicionar o açúcar quando já estiver em chantilly e bater mais uns minutos. O açúcar deve ser a gosto.
Num tacho, colocar o outro pacote de natas e juntar os frutos. Adicionar açúcar a gosto e mexer bem. Quando começar a ferver, basta uns minutos e retira-se do lume.
Despeja-se os frutos por cima da torta, uniformemente. Logo de seguida espalha-se o chantilly por cima e está terminado!
Vai ao frio por 1 ou 2 horas e está pronto a comer!

Marisa Faria

Novembro 2010

as mesas no 12º aniversário





as flores foram executadas em papel, qto aos docinhos....procurem porque as receitas vão estra por aí....





Bolo Salgado 7 Rios


Ingredientes
• 2 Pães de forma sem côdea
• atum
• maionese
• pikles
• azeitonas
• salsa
• Alface
• Tomate
• Cenoura ralada
• Puré de batata

Preparação

Recheio:
Mistura-se, muito bem, atum com maionese, pikles, azeitonas e salsa cortados em pedaços muito pequenos.

Cobertura:
Faz-se puré de batata com consistência média e mistura-se maionese. Deve ficar cremoso, mas com consistência adequada para barrar todo o “bolo”.

Montagem:
1. Num prato grande colocam-se fatias de pão de forma sem côdea lado a lado, mas sem deixar espaços entre elas.
2. Barra-se com maionese e colocam-se fatias de tomate.
3. Coloca-se nova camada de pão de forma, como no passo 1.
4. Por cima desta 2ª camada de pão, espalha-se bem grande parte do recheio feito anteriormente.
5. Coloca-se nova camada de pão de forma, como no passo 1 e 3.
6. Por cima, o resto do recheio e pedaços de alface.
7. Coloca-se nova camada de pão de forma, como no passo 1, 3 e 5.
8. Barra-se com a mistura de puré de batata com maionese a toda a volta.
9. Enfeita-se a gosto, mas de modo bem festivo.


Nota:
Os ingredientes do recheio podem ser variados, dependendo do gosto ou da oportunidade, assim como a decoração.


Isabel Araújo Santos
12º aniversário de 7Rios
14 Nov 2010

flores no 12º aniversário


Novembro 2010

Toalha de mesa


Os dons devem ser exercitados e Luisa Norberto exercita um dos seus dons com o resultado que podemos contemplar com uma alegria nos olhos.
Obrigada



It is well with my soul



escolha de Manuela Lourenço Marques
Out 2010

A Arca de Noé


idade: 4 anos e 7 meses
executado em: Outubro 2010

Bacalhau à Paula Loja

Poderá parecer um vulgar Bacalhau com natas mas...não é!
Este bacalhau tem o sabor da partilha, por isso se torna especial.
Aqui fica a receita do Bacalhau com natas que a Paula Loja partilhou comigo e que eu testei hoje.
  • qb de bacalhau em lascas
  • qb de cebolas
  • qb alho
  • qb azeite
  • qb batata palha
  • qb molho bechamel
  • limão (sumo)
  • qb natas light
  • qb noz moscada
  • qb sumo de limão
  • qb de queijo ralado

Corta-se a cebola à rodelas finas, junta-se o alhinho bem picadinho e vai ao lume a aloirar em azeite. Junta-se o bacalhau desfiado, depois de demolhado, a cebola, alho e azeite e deixa-se a cozinhar um bocadinho após o que se junta a batata palha, envolvendo-a no preparado.

Depois de deixar repousar um bocadinho, adiciona-se o molho bechamel e o sumo de limão e a noz moscada. Por último, antes de ir para o forno, acrescenta-se as natas e polvilha-se com queijo ralado.

O resultado é o que se vê na foto... quanto ao sabor...façam a receita e....

Acompanha-se com salada de alface e....vinho verde!

Bom apetite!

Manuela Lourenço Marques

Outubro de 2010

Perpetuum Jazzile



Uma escolha de Jorge Carneiro
Out 2010

Licor de noz




3 nozes com casca (a verde)
1/2 litro aguardente
1 litro de água
1Kg de açúcar

Parte-se as nozes inteiras (sem deixar separar) deixa-se de efusão, na aguardente, durante pelo menos 2 meses.

Passado o tempo de efusão filtra-se o conteúdo do frasco para um recipiente.
Num tacho coloca-se um litro de água com um quilo de açúcar e deixa-se ferver até formar umas bolinhas no topo. Qundo atinge este ponto apagar o lume e deixar arrefecer.
Junta-se a efusão filtrada ao preparado do açúcar com a água e coloca-se numa garrafa

Manuela Lourenço Marques
5 Out 2010

Bolo de Chocolate na caneca




BOLO DE CHOCOLATE NA CANECA
(Rende 2 porções)

2 canecas com capacidade de 150 ml
1 gema
6 colheres (sopa) de leite condensado
1 colher (sopa) de manteiga
1 colher (sopa) de leite
2 colheres (sopa) de chocolate em pó
5 colheres (sopa) de farinha de trigo peneirada
1 colher (café) de fermento químico
1 clara batida em neve
Cobertura
Leite condensado misturado com chocolate em pó a gosto
Em uma tigela ponha a gema, o leite condensado, a manteiga, o leite e o chocolate em pó. Bata com batedor de arame vigorosamente por três minutos. Acrescente a farinha de trigo e o fermento, e misture bem. Junte a clara em neve e incorpore à mistura, mexendo com delicadeza.
Distribua nas canecas e asse por 25 minutos, a 180 graus em forno preaquecido. Se preferir, asse-o em forno microondas. Nesse caso, apenas 3 minutos em potência máxima bastam. Retire do forno e, enquanto ainda estiver quente, faça alguns furos com um palito e despeje o leite condensado misturado com o chocolate. Decore como quiser.

Uma Sugestão de Isabel Araújo Santos
Out 2010

arranjo

Cândida Barata
26 de Setembro de 2010

A saúde é um estado precário que não augura nada de bom

Tudo acaba, tudo termina, tudo tem um fim. Não há nada que dure para sempre, à excepção do Deus intemporal no qual Saramago teimava em não acreditar.
O pouco tempo que temos não é nosso, não o possuímos, não o merecemos, trata-se certamente de um empréstimo. É-nos confiado sem seguro pois, se o perdemos, não há compensação ou recuperação possível. É-nos confiado com juros, pagamos por ele com a nossa degradação. É-nos confiado por tempo indeterminado, desconhecido, ignorado.
Na manhã da vida, ele passa devagar, preguiçoso, demorado. Ninguém se apercebe quão frágil e instável é a condição do ser humano. A inocência com que nascemos deixa-nos sonhar que podemos voar alto, ainda que só as aves sejam equipadas para tal.
Na tarde da vida, ousamos pensar que podemos viver para sempre, ainda que a ciência nos diga o contrário. Acreditamos que somos invencíveis, insuperáveis tanto quanto o nosso ego permite. É este orgulho que se apodera de nós, dando-nos a confiança de que somos independentes, é uma arrogância que nos cega perante a realidade de que somos frágeis e delicados.
No anoitecer da vida, a experiência dá-nos a conhecer o inevitável. Resta-nos saber se, quando lá chegarmos perto, teremos a coragem para o enfrentar. Alguém disse que a coragem não é a ausência de medo, mas é a nossa reacção quando o medo chega. É cada vez mais evidente que a saúde é um estado precário que não augura nada de bom. A solidão, a dor, a saudade fazem parte do dia-a-dia.
Tudo acaba, tudo termina, tudo tem um fim. E a noite chega…
Mas para mim é um novo dia que nunca acaba, nunca termina, onde o tempo não existe. E onde posso estar com o Deus que Saramago teimou em não amar.

Texto: Joana Loja

Setembro 2010

canção do tempo - letra José Carlos Ary dos Santos

"....
ao tempo presente é que a gente pergunta: e agora? e agora?
....
mas o tempo da gente é o tempo presente é agora, é agora.
....."


escolha de Manuela Lourenço Marques
20 Set 2010

Uma ideia de decoração

A Eunice Duarte tem muitos talentos mas um deles é na cozinha. Sendo bastante criativa, hoje presenteou-nos com um bolo de cenoura com cobertura de chocolate. Aqui fica o bolo do 9º aniversário do Samuel Zola, que estava alegremente decorado
19 Setembro 2010

Lascia ch'io pianga - ópera Rinaldo

Setembro 2010
Jorge Carneiro escolhe e refere:
"Há duas tragédias na vida. Uma é não realizar o desejo do coração. A outra é realizá-lo"
George Bernard Shaw


"Lascia ch'io pianga" é uma ária da ópera Rinaldo. "Deixe que eu chore meu cruel destino e que deseje a liberdade", suplica a princesa Almirena, após ser aprisionada por uma terrível feiticeira.

Deixa que chore
minha sorte cruel,
que eu suspire
pela liberdade.
A dor quebra
estas cadeias
de meus martírios,
só por piedade!

God of this City - Chris Tomlin


uma escolha de Manuela Lourenço Marques
Setembro de 2010

Vasos (Pots)



escolha de Manuela Lourenço Marques
Agosto 2010

Existe Alguém a Orar por ti!


  • Quando os teus problemas, as tuas tristezas e ansiedades são compartilhados com os irmãos, descansa e confia, por que existe alguém a orar por ti.

  • Quando a tua fé parece esfriar-se, quando o teu fervor espiritual arrefecer, não desanimes e sabe que existe alguém a orar por ti.


  • Quando no meio das aflições te sentires confortado e com forças renovadas, mesmo não sabendo como, lembra-te que existe alguém a orar por ti.

  • Quando as tuas orações, pela graça de Deus, são respondidas de um modo poderoso, surpreendendo-te a ti próprio, reconhece e agradece, tendo sempre em mente o facto de que existe alguém a orar por ti.

  • Quando a tua vida é “inundada” de bênçãos sem medida, apesar das tuas falhas e da tua pouca fé, louva a Deus, visto que existe alguém a orar por ti.

  • Quando a tua família é protegida no seio de uma sociedade assolada pelo crime, pela doença, pela degradação moral, dá graças ao Senhor pelo Seu poder protector, tendo sempre a convicção de que existe alguém a orar por ti.

  • Quando perante as grandes decisões da vida consegues ter discernimento e optar de forma correcta e condizente com a vontade de Deus, curva-te humildemente diante do trono da graça, pois Ele dá direcção e sabe que, cooperando com Ele, existe alguém a orar por ti.


  • Quando te encontrares longe dos que te amam e te sentires só, abandonado e sem forças, ora a Deus cantando-lhe louvores e tem ânimo, certo de que existe alguém a orar por ti.

  • Quando sentires o amor e a graça do Pai sobre ti, ora e intercede por alguém; sustenta os outros irmãos no Senhor com o rico ministério da intercessão. Participa e seja um elemento activo neste bendito ministério, com amor e com fervor, dando sempre graças ao Bom Pai, porque sempre existe alguém a orar por ti.

  • Alegra-te! Alguém está a orar por ti!


Pr. Samuel Quimputo
Sete Rios, 07 Agosto 2010

Somos mordomos de Deus!


A Terra pertence a Deus! Todo o mundo é dele, assim como os seus habitantes

Salmos 24: 1

Quantas vezes somos surpreendidos pelas cores exuberantes de uma ave ou até pelo seu piar melódico? Quantas vezes o nosso olhar fica parado não no vazio mas na observação da Natureza que nos rodeia e sua extraordinária beleza? Deus concedeu-nos a capacidade de admirar a Sua obra mas como se sente o nosso coração quando nos apercebemos que fomos incumbidos por Ele para sermos mordomos desta terra em que habitamos e não meros seres contemplativos?

Mordomia envolve obediência, atenção e cuidado, significa ser prestável e servil, implica saber gerir e governar. Características que têm andado longe na relação entre o Homem e a Natureza.

O Mundo necessita que os cristãos acordem para a trágica realidade ecológica e que assumam a sua responsabilidade como filhos do Deus Criador. São as nossas acções que nos demarcam e é através delas que podemos ser “sal e luz”. Temos salgado a vida das pessoas? Temos sido luz? Temos sido um exemplo a seguir no que diz respeito ao cuidado da criação do Pai?

Não são poucos os gestos que podemos alterar no nosso quotidiano. Desde a comida que comemos, aos produtos que compramos, passando pelas decisões que tomamos, devemos ter como uma das prioridades salvaguardar e preservar o que com muito amor foi formado e criado.

A “criação geme” e nós assistimos, inertes! Urge ouvir o coração de Deus e, em obediência, “guardar” a vida que nasceu dos planos soberanos do nosso Pai. Enquanto seus filhos, e orientados pelo amor de Cristo, não há como não decidir fazer parte da solução e não do problema.

4 de agostos 2010

I dare you to pray this

7Duas coisas te pedi, ó Deus, antes de morrer:

8-9 Primeiro, que me afastes da falsidade e da mentira. Depois, que não me dês nem pobreza nem riqueza. Dá-me o bastante para as minhas necessidades. Porque se ficar rico, corro o risco de me esquecer de ti e começar a perguntar: Mas afinal quem é Deus? Por outro lado se vier a empobrecer, a miséria pode levar-me ao roubo e a desonrar o nome de Deus.

Proverbios 30:7-8

reflexão de Francis Chan

O que é a igreja?


escolha de Manuela Lourenço Marques
Julho 2010

Hava Naguila, a canção judaica mais famosa faz 100 anos

Numa Yeshivá de Jerusalém, faz uns cem anos, um maestro criou uma melodía hassídica e deu a seus alunos a tarefa de escrever um verso que se pudesse adaptar a melodía.
Moshe Nathanson , um garoto de 12 anos, foi escolhido por seu poema. Ele inspirou-se no salmo 118, versículo 24, 'Azeh hayom asah A', naguila ve nismeja bo'! (este é o día que fez Deus, sejamos felizes e alegremo-nos nele).
Nathanson emigrou aos Estados Unidos, onde durante 46 anos foi hazan (cantor) na sinagoga do Rabino Mordejai Kaplan, fundador do Movimento Reconstrucionista. Aposentou-se ao fim da década de 60 e morreu uns 15 anos depois.
Sua canção, 'Hava Naguila', é sem dúvida, a mais famosa canção judaica, conhecida por judeus e não judeus, cantada por cantores tão famosos como Harry Belafonte, Bob Dylan, Connie Francis e Richard Tucker.

Hava naguila, hava naguila (Regozigemo-nos ).
Hava naguila venismechá (Alegremo-nos).
Hava neranena, hava neranena (cantemos)
Hava neranena, venismechá
Uru, uru, achim (despertem irmãos)
Uru, uru achim (despertem irmãos)
Uru achim belev sameach (despertem com o coração alegre)

apresentação registrada em agosto de 2007 num concerto de Andre Rieu no Albert Hall de Londres


uma escolha de Filipe Santos
Junho de 2010

Hora da Palavra


Junho de 2010

Os apoiantes do Hamas e o bloqueio marítimo

Existe um bloqueio marítimo ao território de Gaza, imposto por Israel como medida defensiva contra a organização do “Hamas” que ao longo de anos tem atacado alvos civis no território de Israel e que recebe armamento por via marítima.

Um bloqueio marítimo é um meio legítimo de defesa que, de acordo com o Direito Internacional, pode ser usado como medida quando existe um conflito armado.

O bloqueio marítimo pode abranger águas internacionais, desde que não impeça o acesso à costa e aos portos de estados não envolvidos no conflito.

Respeitando as normas do Direito Internacional, Israel anunciou publicamente a existência do bloqueio marítimo a Gaza, dando a conhecer as exactas coordenadas.

O governo de Israel notificou os governos e os organizadores da frota de apoiantes do Hamas. No local, os navios que participavam na manifestação, foram repetidamente avisados da existência de um bloqueio marítimo.

De acordo com o Direito Internacional quando um bloqueio marítimo está em curso, nenhum navio, ainda que civil, pode entrar na zona bloqueada. Qualquer navio que viole ou tente violar o bloqueio pode ser apresado e a tentativa de bloqueio consuma-se desde que o navio deixa o seu porto com a intenção de quebrar o bloqueio.

Os manifestantes não só fizeram anunciar a sua clara intenção de quebrar o bloqueio marítimo imposto por Israel, como a rota seguida pelos navios confirmava essa intenção.

Antes de serem tomadas medidas efectivas para impedir a violação do bloqueio, a marinha de Israel contactou os comandantes dos navios expressando a intenção de Israel fazer cumprir o bloqueio.

Dada a progressão dos navios, Israel tentou tomar o controlo dos navios por meios pacíficos e dado o elevado número de navios iniciou essa operação ainda em águas internacionais.

A tentativa pacífica da marinha israelita foi recebida com violência por alguns dos manifestantes que usaram armas ligeiras, não restando outra alternativa senão o uso da legítima defesa.

advogado
Sete Rios 1 de Junho 2010

História da música "Amazing Grace (Maravilhosa Graça)" - Wintley Phipps



uma escolha de Isabel Araújo Santos
Sete Rios, 25 de Maio de 2010

o milagre da vida


uma escolha de Manuela Lourenço Marques

Junho 2010

How to feed the world ?


Sete Rios 26 de Abril de 2010
uma escolha de Manuela Lourenço Marques

Quem sou eu que vá?

Êxodo 3:11

A Tua ordem ecoa aos meus ouvidos
Insistente,
Clara,
Urgente:
- “Vem… Agora… Eu Te Enviarei…
Dá a Mensagem… Actua…
Esta É A Parte Tua,
A minha Eu cumprirei”


- Senhor, tens a certeza
Que a ordem é para mim?
Quem sou eu para tornar-me
Um colaborador Teu,
Para levar a tarefa até ao fim?
“Vem”?! Mas se eu não sou ninguém!
Não tenho dons comprovados
E as minhas possibilidades e o meu tempo
Estão enormemente limitados…”

- “Que desculpa tão fraca dás a Deus!
Não sabes que conheço até o teu pensar
Antes que o manifestes?
Quem é “Alguém” perante mim,
Se eu não for com ele,
Se não o abençoar e não o dirigir
Quer por caminhos fáceis ou até mesmo duros
Por veredas agrestes, meandros inseguros?

- “Sim, Senhor, eu Vou, aceito a Tua ordem.
Mas o “Agora” é exigência que não posso cumprir.
Agora” estou embrenhado
Em trabalhos complexos.
Espera até que me liberte destas lides
E, quando isso acontecer,
Eu “Vou”, estou pronto, então, a obedecer”

- “Agora – é a hora crucial da urgência:
É o tempo certo! Não podes protelar!
A tarefa é árdua, a “Mensagem” ingente.
Se tu não fores “agora”
Tudo pode falhar…
Vai… agora…dá a mensagem… actua!...
Só assim obedeces, cumpres o teu dever
De crente redimido
Que tem uma “Mensagem” para dar
Uma disponibilidade a cem por cento
Para escutar e “ir”.
Convida… Trabalha… Ora…
Há muito para fazer no nosso Portugal.
Braços cruzados nunca foram lema
Dum servo dedicado, dum seguidor leal.
Nem bocas fechadas e exemplos nefastos
São próprios de um converso
Chamado a palmilhar horizontes mais vastos
Horizontes onde o amor pelas suas almas perdidas
Norteia os passos e dirige vidas”

- Perdoa, Senhor, tão grande insensatez.
Eu “Vou” sem mais demora,
Levarei a “Mensagem” fazendo a minha parte,
E Tu, que és bom e justo,
Prometes e não falhas,
Fortifica a semente lançada campo fora.
E, não sendo eu “Ninguém”,
Nas Tuas mãos que abençoam e guiam,
Minha fraqueza se tornará em força
E, usado por Ti, serei, então, “Alguém


Poema de Odete Felizardo Gomes
In “Barro em Suas mãos”
(dito por Beatriz Augusto,
durante o culto Missões Mundiais,
em Sete Rios 25 de Abril 2010)

There will be a day - Jeremy Camp



uma escolha de Ricardo Pato
Sete Rios 13 de Abril 2010

Creme de couve flor

um creme a testar/saborear :)
custo 4,00€ (0.50€/pessoa)

INGREDIENTES PARA 8 PESSOAS
TEMPO DE PREPARAÇÃO: 40 MINUTOS
1 kg de couve-flor
A parte branca de 1 alho francês cortado em rodelas
2 batatas
50g de manteiga
1 cubo de caldo de galinha
2 gemas
1 chávena de café de leite
Sal q.b.
1,5 l de água
Cubos de pão tostado q.b.

PREPARAÇÃO
1. Numa panela leve ao lume a manteiga e o alho francês.
Deixe aquecer.
Junte a couve-flor, as batatas, o cubo de caldo de galinha, a água e tempere com sal.
Tape e deixe cozer durante 30 minutos.
Mexa a sopa de vez em quando.
2. Depois dos legumes cozidos, passe a sopa com a varinha mágica e caso seja necessário acrescente um pouco de água.
Deixe ferver.
3. Entretanto, dissolva as gemas no leite.
Junte à sopa, mexa e deixe aquecer sem ferver.
Sirva a sopa com cubos de pão tostado.

fonte: www.saborintenso.com

Manuela Lourenço Marques
Sete Rios 10 de Abril 2010

At the Cross



uma escolha de Jorge Carneiro
Sete Rios 6 de Abril de 2010

É sexta - Domingo está chegando



uma escolha de Manuela Lourenço Marques
Abril 2010

Os Olhos do Poeta

No dia Mundial da Poesia Filomena Branco escolhe
Manuel da Fonseca, Poemas Completos, Portugália

O poeta tem olhos de água para reflectir em todas as cores
do mundo,
e as formas e as proporções exactas, mesmo das coisas que
os sábios desconhecem.

Sete Rios 21 de Março 2010

Vamos rir e...."We will survive"




"Music and humor—both are languages of the emotions. Join us on a journey through our wacky hall of mirrors and see for yourself all the weird and wonderful ways these two languages come together to reflect the Zeitgeist of the new millennium.

We live in an age in which the market economy tyrannizes over art. The quality of an artwork is judged by the quantity of sales. We all squint at the sales-volume statistics, the chart placement and the commercial media presence. The more popular, the better. Everyone wants to be a superstar!

But in consequence, we all too often lose sight of the true meaning of music: the uplifting union of feeling and intellect, the intimate and profoundly emotional expression of the soul.

BEING GIDON KREMER takes a critical and entertaining look at classical music through a magnifying glass. By means of this close-up, we hope to achieve a healthy distance from all forms of commercial dumbing-down.

So lets laugh together about whats laughable, and marvel afresh at musics endless marvels!
"

uma escolha de Manuela Lourenço Marques

Sete Rios 17 de Março 2010

texto: http://www.youtube.com/watch?v=pI-PloJWbSk&feature=player_embedded

creme de cenoura

Hoje testei esta receita e achei muito saborosa por isso quero partilhar com cada um de vós

Manuela Lourenço Marques
Sete Rios ,7 de Março de 2010




Ingredientes para 6 pessoas:

500g de cenouras
2 cebolas
3 batatas
1 cubo de caldo de galinha
3 colheres (sopa) de natas
1 gema de ovo
Salsa picada
1 colher (sopa) de margarina
Sal q.b.
Preparação:

Numa panela com água a ferver junte as cenouras, as cebolas, as batatas, o cubo de caldo de galinha, a margarina e tempere com sal. Deixe cozer durante 20 minutos.
Numa taça à parte junte a gema com as natas.
Passe a sopa com a varinha mágica e deixe ferver.
Junte a mistura das natas e deixe aquecer sem ferver.
Sirva o creme decorado com salsa picada.

Fonte: www.saborintenso.com

You Are Holy (Prince of Peace)



uma escolha de Jorge Carneiro
Sete Rios 22 de Fevereiro 2010

bolo de Cenoura com cobertura de Chocolate



uma escolha de Manuela Lourenço Marques
Sete Rios 09 Fevereiro 2010
site: www.saborintenso.com

"Doubting Thomas"

Uma escolha de Daniel Lavra
Sete Rios, 8 Fev 2010


What will be left when I've drawn my last breath
Besides the folks I've met and the folks who've known me
Will I discover a soul-saving love
Or just the dirt above and below me

I'm a doubting Thomas
I took a promise
But I do not feel safe
Oh me of little faith

Sometimes I pray for a slap in the face
Then I beg to be spared cause I'm a coward
If there's a master of death
I bet he's holding his breath
As I show the blind and tell the deaf about his power

I'm a doubting Thomas
I can't keep my promises
Cause I don't know what's safe
Oh me of little faith

Can I be used to help others find truth
When I'm scared I'll find proof that it's a lie
Can I be led down a trail dropping bread crumbs
That prove I'm not ready to die

Please give me time to decipher the signs
Please forgive me for time that I've wasted

I'm a doubting Thomas
I'll take your promise
Though I know nothin's safe
Oh me of little faith

The Voca People

Isabel Arájo escolheu
em Sete Rios 5 Fevereiro 2010

Winged Migration Part 5

Chuva de pássaros?
Leveza e beleza mas a corrida pela sobrevivência continua. No entanto, muitos são apanhados. Vejam como.
- convida "A Rocha"

Um dia de Rafting









01 Maio de 2009
fotos de César Pacheco











Um dia de Rafting


O Rafting é uma actividade desportiva que consiste na descida de um rio, embora nem todos sejam apropriados. Os rios de águas calmas não reúnem as condições desejáveis mas sim os de águas rápidas.
A descida faz-se em barcos insufláveis de 6 ou 8 lugares.
No dia 1 de Maio de 2009, o Rafting foi o que me levou, a mim e a aproximadamente duas dezenas de companheiros, a entrar nas águas geladas de um rio.
Planeámos e partimos no dia 30 de Abril rumo a S. Pedro do Sul, depois de um dia de trabalho. Lá nos fomos encontrando na estação de serviço onde combinámos, depois em Leiria e, finalmente, em S. Pedro do Sul. A viagem correu sem sobressaltos, mas foi longa. Percorremos cerca de 300km com o objectivo de estarmos mais perto do destino final da viagem – o rio Paiva.
Na manhã seguinte, muito perto da hora combinada, estavámos na estrada para percorrer a distância que faltava - cerca de 70km - e, desta vez, o percurso não foi o mais rápido, apesar de ser o mais directo. Lá chegámos ao nosso ponto de encontro com a equipa de monitores, depois de vários telefonemas a confirmar se íamos na direcção certa.
Depois de nos equiparmos partimos num autocarro em direcção ao Rio ... esta viagem deve ter sido das mais animadas que já fiz! Logo aí comecei a aperceber-me da beleza natural que nos rodeava, ou melhor, recordei, pois já tinha estado ali há cerca de onze anos atrás.
Já no local de partida e após um momento de instruções e de algumas fotos, lá fomos para água. Ao primeiro contacto sentimos frio, mas os fatos e botas de neoprene resolveram a questão. Se bem me lembro, desde aquele momento e até terminar, nunca mais senti frio.
Ao iniciarmos a descida, lembro-me de vivermos momentos de contemplação, momentos com muita adrenalina e, inevitavelmente, contacto com a água.
Os momentos de contemplação foram proporcionados pela enorme beleza natural ali presente e pelo profundo silêncio, só quebrado pelas aves. Lembro-me de ouvir o canto das aves que por ali andavam e olhar para aquelas ravinas cobertas de árvores, uma realidade tão oposta à confusão, barulho e poluição da cidade. Ali torna-se real o pensamento de que toda aquela harmonia não pode ter surgido ao acaso ... é criação de Deus!
Tão forte como recordo a parte silenciosa, recordo as partes de águas bravas. Lembro-me do estado de alerta permanente e da forma como o rio obrigava a nossa monitora a dar-nos rapidamente as instruções de comando que garantiam a direcção do barco.
A descida dos rápidos é um trabalho de equipa em que todos têm que estar sintonizados. As ordens são dadas para o grupo que as tem que executar imediatamente. Na brincadeira, aprendemos as consequências de algumas execuções mais demoradas: barco encalhado várias vezes e ... homem ao rio!
Apesar de tudo, a sensação de passar os rápidos foi muito agradável. Por várias vezes tivemos oportunidade de dar mergulhos, nadar e até saltar de uns penhascos para a água que, segundo li, era das menos poluídas da Europa. Fiquei admirado com a transparência daquelas águas e houve mesmo um local em que a pudemos beber.
Depois de quatro horas rio abaixo e muito trabalho de braços, lembro-me que já todas as conversas acabavam num assunto: comida! Fartámo-nos de rir!!!
Pouco tempo depois avistámos as nossas três apoiantes que, apesar da espera, não desistiram e lá estavam elas prontas para nos receber com as suas máquinas fotográficas e palavras amigas.
A actividade terminou num cais, junto a uma ponte, onde o autocarro nos recolheu de volta ao local de partida. Ali, depois de um desejado banho quente, comemos uma sandwich, despedimo-nos da equipa de monitores e alguns companheiros de “viagem” e regressámos a Lisboa. Pelo caminho, ainda tivemos a oportunidade de passar na Figueira da Foz e comer na Casa do Sporting!!!
Muitos de nós ficaram com vontade de repetir ... talvez um dia quando o caudal do rio for mais abundante.
Antes de terminar, quero dizer que este foi um tempo muito especial, muito agradável e cheio de boas recordações. Da minha parte, muito obrigado a todos aqueles com quem partilhei este momento e, também, a todos aqueles que fazem a sua parte para que tesouros como o rio Paiva ainda existam!

César Pacheco
Sete Rios 1 Fev 2010

Winged Migration Part 4

A Rocha chama a atenção para " VIDA E MORTE na 4ª parte de Winged Migration. Enquanto algumas aves não resistem e ficam pelo caminho, as crias começam a aparecer. Conheçam-nas!"

Winged Migration Part 3

Ao vermos a 3ª parte de "Winged Migration" tornam-se mais perceptíveis os obstáculos que vão surgindo e que precisam de ser ultrapassados para as aves chegarem ao seu destino. Não é assim a nossa vida? Uma dança, uma luta, às vezes uma disputa? Quantas vezes nos perdemos? Mas avançamos. - refere "A Rocha"

Assado de Tofu ou Requeijão

Ingredientes
1 cebola média picada
2 colh. Sopa de azeite
2 ovos
1 chávena de nozes picadas
½ kg de tofu ou Requeijão
1 chávena de pão ralado
1 colh. Sopa de levedura de cerveja
3 colh. De sopa de flocos de aveia – facultativo

Preparação
Coza levemente a cebola no azeite e num pouco de água. Acrescente os outros ingredientes. Deite numa forma untada ou pirex e leve a assar em forno quente
Giséla e Luís Diniz, no worshop
Sete Rios, 31 de Janeiro de 2010

Bolo de Alfarroba

Ingredientes
1 chávena de açúcar mascavado
3 colheres de sopa de farinha de alfarroba
1 colher de chá de baunilha
3 ovos
1 pitada de sal
3 chávenas de farinha de trigo (2 de farinha branca e outra integral)
2 colheres de chá de fermento
½ chávena de óleo
½ chávena de água morna

Preparação
Misturar os secos. Bater o açúcar com as gemas e o óleo. Adicionar a mistura seca, bater e finalmente envolver as claras em castelo. Cozer em forno moderado – 150º, cerca de 40 minutos.

Giséla e Luis Diniz, no workshop
Sete Rios, 31 de Janeiro de 2010

Maionese de Soja

Ingredientes:
1 copo de leite de soja
1 copo de azeite/óleo
1 dente de alho
1 limão-sumo
Sal q.b.
Levedura de Cerveja (opcional)

Preparação
Coloque todos os ingredientes no copo da varinha mágica. Introduza-a na mistura mantendo-a fixa durante alguns minutos até a a mistura ficar homogénea

Giséla e Luís Diniz, no Worksop
Sete Rios, 31 de Janeiro de 2010

Winged Migration Part 2

"A viagem ainda está no início. Ao longo do documentário será muito fácil escapar-nos ou um sorriso ou uma lágrima. Vejam e vão perceber o porquê" - disse "A Rocha"



Manuela Lourenço Marques
Sete Rios 31 Jan 2010

Winged Migration Part 1

chegou, através da "A Rocha", a 1ª Parte de um documentário a não perder....
(não há qualquer efeito especial nas imagens)
Manuela Lourenço Marques
Sete Rios 29 de Janeiro 2010



To Be By Your Side - Nick Cave

hoje recebi este video encaminhado pela "A Rocha"
decidi partilhar com com cada um de vós, espero que gostem:)
Manuela Lourenço Marques
Sete Rios 29 de Janeiro 2010

Ágora


Título original: Ágora
Ano: 2009
Realizador: Alejandro Amenábar
Género: Drama, Histórico, Romance
Actores principais: Rachel Weisz, Max, Minghella, Oscar Isaac, Ashraf Barhom, Michael Lonsdale, Rupert Evans


Este é um filme que eu recomendo, não pelos efeitos visuais, não pelas reconstruções magníficas de cidades que já desapareceram, não pela história, nem sequer pelas personagens, mas porque é um filme que nos coloca na seguinte situação: ao sairmos da sala de cinema, se alguém nos perguntasse se somos cristãos, sentiríamos ou não relutância em dizer que sim?

A história começa no ano de 391 d. C., na cidade de Alexandria, no Egipto, que possuía a maior biblioteca do mundo de então e um farol que guiava os barcos no Mediterrâneo cuja luz podia ser vista a 50 km de distância.

A personagem principal do filme é Hipácia, uma matemática, filósofa e astrónoma brilhante, que vive no tempo do declínio do Paganismo (do mundo greco-romano) e da expansão do Cristianismo.
Entre as lutas entre os pagãos e os”Parabolani (cristãos que arriscavam a vida para tratar de enfermos e enterrar cadáveres), existem histórias paralelas: Davus, um escravo cristão que se apaixona pela sua senhora, Hipácia; a ascensão de Cirilo ao cargo de bispo de Alexandria e a sua determinação em acabar com o Paganismo; e Orestes, aluno de Hipácia, que chegou a Prefeito romano de Alexandria e que tinha na sua antiga professora o seu maior apoio.

No filme a História é manipulada, existem vários erros factuais que nos levam a concluir que os cristãos são mais intolerantes do que aqueles que em nada acreditam.
Hipácia é a mártir do filme, pois é retratada como uma agnóstica (quando na realidade era pagã) a quem Cirilo e os parabolani condenaram e executaram.
Os cristãos são retratados como intolerantes que matam todos aqueles que não se baptizavam.

Portanto, se no final vos perguntarem se são cristãos, não tenham medo de dizer que sim, porque aqueles que no filme se diziam cristãos não conheciam, com certeza, o Jesus que eu conheço!


Joana Loja
Sete Rios, Janeiro de 2010

A Pescaria Inesquecível

“Instrui o menino no caminho em que deve andar, e até quando envelhecer não se desviará dele.” (Provérbios 22:6 AA)
Ele tinha onze anos e, a cada oportunidade que surgia, ia pescar no cais próximo ao chalé da família, numa ilha que ficava em meio a um lago. A temporada de pesca só começaria no dia seguinte, mas pai e filho saíram no fim da tarde para pegar apenas peixes cuja captura estava liberada.
O menino amarrou uma isca e começou a praticar arremessos, provocando ondulações coloridas na água. Logo elas se tornaram prateadas pelo efeito da lua nascendo sobre o lago.
Quando o caniço vergou, ele soube que havia algo enorme do outro lado da linha. O pai olhava com admiração, enquanto o garoto habilmente, e com muito cuidado, erguia o peixe exausto da água. Era o maior que já tinha visto, porém sua pesca só era permitida na temporada. O garoto e o pai olharam para o peixe, tão bonito, as guelras movendo para trás e para frente. O pai, então, acendeu um fósforo e olhou para o relógio. Pouco mais de dez da noite… Ainda faltavam quase duas horas para a abertura da temporada. Em seguida, olhou para o peixe e depois para o menino, dizendo:
- Você tem que devolvê-lo, filho!
- Mas, papai, reclamou o menino.
- Vai aparecer outro, insistiu o pai.
- Não tão grande quanto este, choramingou a criança.
O garoto olhou à volta do lago. Não havia outros pescadores ou embarcações a vista. Voltou novamente o olhar para o pai. Mesmo sem ninguém por perto, sabia, pela firmeza em sua voz, que a decisão era inegociável! Devagar, tirou o anzol da boca do enorme peixe e o devolveu à água escura. O peixe movimentou rapidamente o corpo e desapareceu.
Naquele momento, o menino teve certeza de que jamais pegaria um peixe tão grande quanto aquele. Isso aconteceu há mais de 30 anos… Hoje, o garoto é um arquiteto bem-sucedido. O chalé continua lá, na ilha em meio ao lago, e ele leva seus filhos para pescar no mesmo cais. Sua intuição estava correta. Nunca mais conseguiu pescar um peixe tão maravilhoso como o daquela noite.
Porém, sempre vê o imenso peixe toda as vezes que depara com uma questão ética. Porque, como o pai lhe ensinou, a ética é simplesmente uma questão de CERTO e ERRADO.
Agir corretamente, quando se está sendo observado, é uma coisa. A ética, porém, está em agir corretamente quando ninguém está nos observando. Esta conduta reta só é possível quando, desde criança, aprendeu-se a devolver o PEIXE À ÁGUA.
A boa educação é como uma moeda de ouro. TEM VALOR EM TODA PARTE!
- Extraído de "Histórias para Aquecer o Coração dos Pais", Jack Canfield e Mark Victor Hansen, Editora Sextante.
“Senhor, ajuda-me a ser exemplo para meus filhos e para esta geração que está aí sem referenciais de integridade.”

texto escolhido por Isabel Araújo
Sete Rios 25 de Janeiro de 2010

Andre Rieu and Akim Camara

uma escolha de Jorge Carneiro
Sete Rios, 22 de Janeiro de 2010

Intermedio. La boda de Luís Alonso. J Gimenez. Lucero Tena

uma escolha de Fernando Ferrira
Sete Rios, 17 de Janeiro de 2010


o menino que consertou o mundo

uma escolha de Isabel Araújo Santos
Sete Rios 8 de Jan 2010

CONFIANÇA

O que é bonito neste mundo, e anima,
É ver que na vindima
De cada sonho
Fica a cepa a sonhar outra aventura...
E que a doçura
Que se não prova
Se transfigura
Numa doçura
Muito mais pura
E muito mais nova...

Miguel Torga

escolha de Eunice Duarte
Sete Rios, Janeiro de 2010

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...